segunda-feira, 11 de fevereiro de 2019

Manchester City 6-0 Chelsea: Que massacre!!



Partilha :
Premier League

A derrota do Chelsea fora frente ao Bournemouth tinha obrigatoriamente de deixar marca nos blues. Para o bem ou para o mal, ali, em tudo aquilo que se seguiu, estava um momento de viragem. Porque a seguir Maurizio Sarri cortou a direita na equipa e recusou-se mesmo a seguir viagem com os jogadores no regresso, porque a seguir começaram a sair notícias em catadupa sobre várias relações estragadas no balneário do conjunto londrino. A primeira resposta foi positiva: chapa cinco em Stamford Bridge ao Huddersfield, com bis de Hazard e Huguaín; a segunda resposta não podia ser pior. Aliás, foi histórica – pela negativa.

Quatro minutos, 1-0: De Bruyne viu uma autêntica cratera na defesa contrária, lançou Bernardo Silva na direita, o cruzamento rasteiro do internacional português sofreu um ligeiro desvio e Sterling, ao segundo poste, encostou sem hipóteses. 13 minutos, 2-0: Zinchenko ganhou numa insistência pelo lado esquerdo, Kun Agüero ganhou algum espaço fora da área e atirou um míssil sem hipóteses para Kepa. Ah, e pelo meio o argentino ainda teve uma perdida após assistência de Bernardo Silva que deixou os adeptos incrédulos e levou mesmo Pep Guardiola a atirar-se para o chão…

Era um jogo de sentido único, com o estilo tricotado do Manchester City a desfazer por completo a organização defensiva do Chelsea. E para ajudar a uma realidade cada vez mais negra, juntaram-se ainda erros individuais inadmissíveis, como aquele que acontecer aos 19 minutos quando Ross Barkley atrasou de cabeça para Kepa mas viu Agüero desviar na pequena área para o 3-0. Mas não ficaria por aí olhando apenas para a primeira parte, com Gundogan, poucos antes dos 25 minutos iniciais da partida, a aproveitar uma bola perdida à entrada da área para rematar colocado ao ângulo inferior.

No segundo tempo, mais do mesmo e para marcar registos históricos: Agüero fez o 5-0 na marcação de uma grande penalidade (56′), chegando a novo hat-trick depois dos três golos que tinha apontado ao Arsenal no último encontro em casa, e Sterling fechou as contas a dez minutos do final, concluindo na área de pé esquerdo mais uma grande movimentação ofensiva que teve Zinchenko a fazer o passe decisivo para o bis do internacional inglês de novo isolado em zona proibida. E esse acabou por ser mais do que um simples carimbar de goleada – o Chelsea nunca tinha sofrido seis golos num jogo da Premier League, sendo que a maior derrota antes desta tinha sido em 1991 (ainda sem a nova versão da Liga) frente ao Notthingham Forest de Clough…

Dias difíceis para Maurizio Sarri e Pep Guardiola em grande a recolocar o seu City de novo na rota do título, em acesa disputa com o Liverpool de Jurgen Klopp.

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ola leitor como vai?
Obrigado pela visita em nosso blog, e não se esqueça de deixar teu comentário/opinião depois ok? Ele é muito importante para nós.